9 Potenciais razões porque casais infelizes permanecem juntos

Já alguma vez observou um casal em “funcionamento hostil” e pensou: Por que eles permanecem juntos?

relacionamentos

Como introdução e generalizando um relacionamento poderiamos dizer – Existem duas opções quando um parceiro, um amigo, familiar ou colega de trabalho reclama sobre um relacionamento. Pode continuar a dar conselhos (talvez na maioria sem grande efeito) sobre como essa pessoa poderia melhorar, ser mais amável, de sugerir espaço e tempo ou educadamente dizer-lhe que esse tema está fora dos seus limites (é muito para si).

No entanto – É difícil ver alguém que você gosta passar por uma dor emocional. Mas também é difícil mentalmente e fisicamente para si a exaustão que esse caminho toma porque sabe que merece mais descanso, outras possibilidades.

Existe, no entanto, algo que surge entre estes dois estados que podemos chamar de meio termo. Por outras palavras um “acordo” que pode até ser descrito como uma “parceria com raiva” mas que mantém, num estado semi-artificial, o estar juntos.

Apontaria 9 razões onde estas “parcerias com raiva” podem tomar forma ao longo de anos, proventura vidas.

  1. As coisas nem sempre são o que parecem nos relacionamentos. Por exemplo, o (ou subserviente) parceiro aparentemente dependente pode ser quem realmente mantem o poder.
  2. Uma das partes reage, mas não com raiva. Isso não significa que ele(a) não esteja a “ferver” por dentro. A sua raiva é apenas expressa de forma diferente. Por vezes até dirigida a filhos, caso existam.
  3. O parceiro que faz quase tudo detém o poder. Sempre que há uma distribuição desigual dentro do relacionamento, o parceiro não tão activo é dependente do outro, aquele que comanda a casa, controla as finanças, disciplina as crianças, organiza eventos familiares, decide sobre férias, etc.
  4. Parceiros desenvolvem padrões ou “acordos”. Isto torna-se evidente quando o propósito desses padrões ou acordos é permitir em ocultar hábitos disfuncionais, como a infidelidade, gastos excessivos, ou abuso de substâncias.
  5. Sempre que houver conflito em curso, há um acordo subjacente. Os adultos estão dispostos em fazer parcerias. As razões mais comuns citadas para ficar juntos incluem: as crianças, as finanças, o tempo investido, a vergonha de dividir, e religião, entre outros, mas o maior problema pode ser que um parceiro acredita que ele ou ela merece ser maltratada.
  6. Acordos disfuncionais significa que ambas as partes são cúmplices em segredo. Se a verdade é enterrada, a realidade é uma mentira, e para manter a mentira viva, ambos os parceiros têm de mentir continuamente.
  7. Mentiras podem cria vergonha e culpa, que nos leva de volta à ira. Esta pode ser a raiva de si mesmo por não manter os seus valores, ou raiva no seu parceiro por não mudar os seus hábitos pouco saudáveis. E enquando projectar essa raiva para o seu parceiro, você não só obtém alívio temporário, que não tem que experimentar por si mesmo. Em resumo, temos alguém para “culpar”.
  8. As pessoas aprendem a tolerar, aceitar, e a controlar a sua raiva. Uma vez que a raiva é reconhecido em todas as suas formas (escondido e ostensiva) e as ferramentas de gestão de raiva estão no seu lugar isso é perpétuado.
  9. A razão final para este formato de “relacionamento”? O medo de ser deixado sozinho.