O que as estatísticas nos dizem sobre a comunicação numa entrevista de emprego

Focamos nos dos nossos artigos anteriores ( linguagem corporal ) a atenção que os recrutadores dão a todos os sinais do candidato. A comunicação que se estabelece durante uma entrevista não são apenas as palavras que se trocam ou o diálogo que se estabelece.

estatisticas-entrevista

Existem uma série de factores, por vezes algo subtis, que fazem parte desse “diálogo” e que tem uma importância enorme no contexto da entrevista. Combinando todas as formas de comunicação que se estabelecem durante esse período encontramos alguns números (resultantes de estudos e estatísticas) que se revelam interessantes em analisar. Talvez estes números o possam ajudar a melhorar a sua prestação durante a próxima entrevista!

Obs: A percentagem indica o grau de importância atribuida pelo universo de recrutadores do estudo.

Impacto pessoal (primeira impressão)

  • 55% – A forma como se veste, age e caminha desde a porta
  • 38% – A qualidade da voz e gramática juntamente com a confiança
  • 7% – O conteúdo do discurso

Atitude (erros comuns)

  • 67% – Falha em estabelecer contacto visual
  • 47% – Nenhum ou pouco conhecimento da empresa
  • 38% – Ausência de um sorriso
  • 33% – Postura errada
  • 33% – Demasiada agitação
  • 26% – Aperto de mão “fraco”
  • 21% – Mexer em demasia no cabelo ou tocar na face
  • 21% – Cruzar os braços
  • 9% – Demasiados gestos

Roupa (erros comuns)

  • 70% – Demasiadamente na “moda” ou sofisticada
  • 65% – Em caso de dois candidatos semelhantes 65% dos recrutadores dizem que a roupa pode ser um factor decisivo

Diálogo verbal (erros comuns)

  • 55% – Achar que tem de “ganhar” na entrevista em vez de mostrar as competências
  • 45% – Não conseguir afirmar que é o candidato ideal
  • 41% – Incapacidade de se deatacar dos outros candidatos
  • 32% – Pouco entusiasmo e interesse no trabalho
  • 15% – Falar em demasia do antigo emprego, ou porque o perdeu

Outro número interessante que deixamos: 33% dos recrutadores dizem que em 90 segundos são capazes de saber se vão contratar alguém ou não.