Candidatura Espontânea – O que escrever na carta de apresentação

Quando se candidata espontaneamente a uma empresa é fundamental um bom texto de apresentação (quer o envio seja em papel ou por e-mail). Uma boa apresentação pode ser o ponto de partida para o emprego desejado e existem algumas regras para a sua redacção.

Se acha que ninguém lê o texto de apresentação, pode não ser bem assim. Os textos de apresentação fornecem ao recrutador indicadores úteis sobre a sua forma de escrita e comunicação, sobre alguns traços de personalidade e sobre as suas orientações e objectivos de carreira.

É através desta apresentação que o empregador tira as suas primeiras impressões e a ideia com que ele deve ficar no final da leitura é que existe vontade sua em trabalhar na sua empresa!

Antes de mais coloque as seguintes questões a si mesmo:

  • Quais as necessidades do empregador?
  • Que conhecimentos e experiência são necessários para desempenhar aquela função?
  • Quais são os seus objetivos?
  • Tente averiguar no site da empresa, telefonando para a empresa ou falando com algum conhecido se existe alguma vaga em aberto, ou se a empresa tem alguma necessidade em algum sector.
  • Pense pelo menos em 2 características que tenha e que possam ser úteis naquela empresa em particular.
  • Qual a razão que o leva a querer trabalhar para aquela empresa e não outra?
  • O que sabe sobre a organização, a cultura e os objectivos daquela empresa?

Quanto tiver estruturado estes pontos estará apto a redigir o seu texto de apresentação. Caso contrário, não envie.

Alguns cuidados para a redacção do texto:

  • Deve estar de acordo com as formalidades da função e a cultura da empresa à qual se está a candidatar.
  • Deve ser directo e sucinto.
  • Deve apresentar uma linguagem simples, mas cuidada.
  • Deve ser personalizado – adaptado a cada função e empresa.

No caso de enviar o texto em carta de papel:

  • A assinatura deve ser manuscrita.
  • Deve estar bem formatado (margem do papel e espaçamento entre linhas)
  • Texto disposto de forma homogénea e numa estrutura equilibrada, evitando ser um enorme bloco de texto.

A Estrutura do texto

Introdução

O início do texto, numa frase curta, deve ser capaz de se identificar:
Ex: “Sou licenciado em Gestão de Recursos Humanos e tenho 10 anos de experiência em Recrutamento & Seleção”

Corpo do texto

É o mais importante. Deve justificar o porquê de enviar aquela carta (o motivo da candidatura) e para aquela empresa (motivação para aquela empresa / função). Não exagere nos elogios, mas mostre o seu interesse e o que considera de positivo naquela organização, explicar porque quer trabalhar naquela empresa em particular. Pode mencionar a reputação da empresa, o volume de vendas, a cultura da empresa, a política de gestão ou outro qualquer motivo. Os empregadores gostam de saber o motivo pelo qual a sua empresa foi escolhida e não querem sentir que resulta de uma lista de candidaturas espontâneas que enviou em série.

Deve abordar os seus objectivos de carreira e como considera que os conseguirá atingir naquela empresa em particular. As frases devem ser claras e sucintas. Deve ter um “discurso de acção” no sentido de convencer o empregador que existe potencial para o enquadrar nos quadros da empresa. Pode mencionar as suas competências, skills e experiência, usando exemplos de funções que tenha desempenhado.
Ex: “Como consultor sénior, tive a meu cargo uma equipa de x elementos e fui responsável por y objectivos, tendo no último ano ultrapassado em z% as metas definidas. Aportarei à vossa empresa as seguintes competências….”

Conclusão do texto

Além de agradecer ao empregador o tempo dispensado, deve tentar deixar a “porta aberta” para um futuro contacto. Pode sugerir a marcação de uma entrevista e assim tomar a iniciativa de fazer o follow-up. Ou seja, não diga que fica à espera de um contacto, mas sim que irá contactar dentro de uma semana para fazer o follow-up.