19 Coisas que talvez seja melhor retirar do seu Currículo Vitae

É natural colocar uma “boa dose” de esforço em construir um excelente CV ( Currículo Vitae ) mas é igualmente importante prestar atenção ao que não deve estar lá.

coisas-retirar-cv

Desde clichés em demasia a toques “criativos” que fazem pior do que melhor, há uma abundância de elementos no currículo que incomodam e até mesmo desligam os recrutadores do que está a tentar passar.

Para ter as melhores chances de conseguir uma entrevista, pegue o seu currículo e tenha a certeza que é livrou, de vez, destas 19 “coisas”.

  1. Um objectivo da carreira – Deixar bem claro por que está tão interessado na posição específica que se está a aplicar. Clichés do tipo “Sou um profissional empenhado..” geralmente é vago e de pouco interesse para o recrutador. Elimine o que estiver fora de um objectivo claro.
  2. Apresentar as suas perícias baseadas nas suas competências – A tendência habitual, e está de certo modo correcto, é organizar o CV por ordem cronológica inversa (onde a sua experiência mais recente é listada primeiro). Mas se a sua experiência mais recente não é o que deseja destacar ou está a re-entrar no mercado de trabalho depois de um longo hiato temporal, o topo de seu currículo deve ser apresentado sob a forma de competências e usando frases simples ( inclusive directas e focadas ) que captem a atenção do recrutador para as suas perícias.
  3. Fotos ou outros recursos visuais – Um estudo recente mostrou que “tais elementos visuais reduzem a capacidade analítica dos recrutadores e dificulta a tomada de decisões” e impediu-os de “localizar as informações mais relevantes, como habilidades e experiência”.
  4. Mega blocos de texto – Estudos mostram que os recrutadores olham para os currículos em modo “scan”, um minuto na melhor das hipóteses, num piscar de olho na pior das hipóteses, pelo que o seu objectivo é tornar fácil a leitura dos seus “skills” tanto possível. Isso significa manter o texto curto e suave.
  5. Uma segunda página no CV – Se tem menos de 10 anos de experiência, usar mais de uma página pode ser algo confuso para alguns recrutadores. Então, por que arriscar? Com um pouco de destreza pode expôr o seu currículo numa única página.
  6. Fontes de texto a utilizar – Usar uma, talvez duas, se tiver algumas habilidades de design. Mais do que isso corre o risco de ser fonte de distracção. E jamais use algo tipo Comic Sans :)
  7. Palavras soltas deixadas em uma linha por si só – Em vez disso, veja como pode editar a linha anterior para que elas possam se ajustar na abertura de linhas extras tornando o currículo mais “limpo”.
  8. Referências que não foram solicitadas – Limite-se a responder ao que é solicitado. Na pior das hipóteses, isso pode até parecer algo presunçoso, enquanto poderia usar esse espaço para adicionar detalhes sobre suas habilidades ou realizações referentes ao que se candidata.
  9. O seu email – Quer realmente que o seu futuro empregador saiba que está a procura de emprego desde o seu actual posto de trabalho? Use um email pessoal para contacto.
  10. Os seus “hobbies criativos” – A menos que você está aplicando para empregos que vão especificamente valorizam esses interesses o melhor é não os enunciar.
  11. Data do seu nascimento, estado civil, religião ou etnia – Supostamente é “ilegal” para os empregadores considerar isso ao olhar para a sua aplicação mas todavia acontece. Não existe propriamente uma recomendação aqui mas algo que possa parecer demasiado ( no seu texto ) retire.
  12. Posições irrelevantes para o seu actuais metas de trabalho – A menos que necessite de preencher uma lacuna no seu currículo ou mostrar suas habilidades, não há nenhuma lei que diz que tem de incluir os seus seis meses em “Entrega de Pizzas” no seu currículo.
  13. Sua experiência como mãe ou pai – Se tomou tempo fora do ambiente de trabalho para criar filhos, não liste a sua experiência de paternidade no seu currículo.
  14. O seu ano de graduação – Os recrutadores realmente só querem saber que tem o grau exigido, e concerteza não quer que eles inadvertidamente discriminem isso com base em sua idade.
  15. Qualquer coisa secundária menos relacionadas – A menos que tenha saído da faculdade hà menos de um ano e fez algo altamente relevante durante os seus anos de ensino, não há necessidade de incluí-lo no seu currículo.
  16. Uso desnecessário de “palavras grandes” – Porquê usar “utilizar” quando pode dizer “usar?”, especialmente quando ocupa mais espaço precioso no seu currículo. A forma fácil de saber se uma palavra é usada devidamente é perguntar se o iria dizer isso na vida real?
  17. Uso de termos vagos – Reveja o seu currículo e observe a quantidade de termos vagos ( pouco apontadores ) que podem estar incluídos. Elimine o que for vago e aponte na direcção que a oferta de trabalho exige.
  18. Verificação ortográfica e verificação de gramática é essencial – Não tente impressionar com termos ou palavras que possam parecer interessantes mas que possam ser autênticas “pancadas na gramática”. Frases curtas parece ser uma formula que resulta.
  19. Incluir qualquer coisa que não é verdade – Simplesmente, não! Se não tiver certeza de que tem a experiência para se qualificar para o essa oferta de sonho, não tente “falsificar ou inventar” e procurar maneiras de obtê-la.