5 Sinistras formas de como um hacker (ciber-criminoso) nos pode aniquilar

  1. Hackear um Pacemaker – Hackear um Pacemaker poderia dar um enredo para um filme de ficção cientifica em Hollywood. Assassinar alguém tomando controle sobre o dispositivo médico que controla o seu coração? Certamente que não é possível no mundo real. Na verdade, é totalmente possível! No ano passado, uma experiência demonstrou que um vírus se poderia “concebivelmente” espalhar para um coração assistido eletronicamente à distância de 10 metros.
  2. Hackear um Avião – A perspectiva de uma tomada terrorista sobre um avião nunca é agradável, e dado que hoje um avião quase se pode pilotar por ele mesmo (auto-piloto), tudo o que um potencial sequestrador teria de fazer seria entrar nos computadores do avião – e ele nem necessita de estar no próprio avião. Adicionalmente, torres de controle aéreo podem também ser comprometidas.
  3. Hackear uma rede de distribuição de energia eléctrica – As quedas de corte de energia matam mais pessoas do que nós pensamos. O ar condicionado é desligado e o funcionamento de lojas, farmácias, hospitais e serviços de comunicação são interrompidos – e tudo isto pode ser fatal, especialmente para populações mais vulneráveis. Um apagão desta dimensão pode ser catastrófico.
  4. Hackear uma Viatura – Os mesmos sistemas de segurança e de controle remoto que protegem os carros dos assaltantes podem ser usados para ataques cibernéticos. A capacidade de assumir os controles de uma viatura tem crescido. Imagine o que os atacantes poderiam fazer tendo acesso ao seu carro desde uma linha remota? Controlar os travões, luzes e o próprio motor seria algo fácil.
  5. Hackear um Drone – É algo tecnológicamente mais complexo mas não é impossivel. Na verdade pode acontecer, ou, pelo menos, falsificado, que seria como um hacker poderia dar ao drone novas direcções e alvos. O caso mais famoso aconteceu no Irão que supostamente foi capaz de capturar um drone RQ-170 dos Estados Unidos.

Definição de hacker via Wikipédia:

Um hacker é um indivíduo que se dedica, com intensidade incomum, a conhecer e a modificar os aspectos mais internos de dispositivos, programas e redes de computadores. Graças a esses conhecimentos, um hacker frequentemente consegue obter soluções e efeitos extraordinários, que extrapolam os limites do funcionamento “normal” dos sistemas como previstos pelos seus criadores; incluindo, por exemplo, contornar as barreiras que supostamente deveriam impedir o controle de certos sistemas e acesso a certos dados.