14 Possíveis causas de ainda estar desempregado

Porquê que ainda estou desempregado?

As pessoas nesta situação têm alguns traços em comum,
das quais fazemos um resumo dos pontos mais significativos.

Algumas das possíveis causas

1. Não faz Networking
Muitos dos empregos de hoje em dia são conseguidos através do networking, ou seja, através da referência de amigos ou conhecidos. Se apenas está a responder a anúncios e a pesquisar na internet ..não está a fazer o suficiente.

2. Fracassa nas entrevistas
Muitas pessoas “falham” nas entrevistas. Mastigar pastilha elástica, posturas demasiado informais, uso de calão, são meios para fracassar na entrevista. Mantenha uma postura profissional e use uma linguagem formal.

3. Qual é a sua expectativa salarial?
Esta é a pergunta da “praxe” na entrevista de emprego, e a que mais desconforto causa aos entrevistados. Como responder? Os salários nos dias que correm estão mais baixos. Não responda “um salário igual ao que tinha”. Investigue quanto o mercado está a pagar para aquela função e naquele sector de atividade e adeque o seu pedido, e refira antes um intervalo de valores em vez de um valor específico.

4. Tem excesso de qualificações
Este é um chavão difícil de “aceitar” para quem está desempregado. “Ou se consegue fazer o trabalho ou não!” pensam alguns candidatos. No entanto, este conceito está mais relacionado com o “querer” fazer o trabalho (com a motivação) do que o “conseguir” fazer. Na prática, dificilmente uma empresa vai contratar alguém com 10 anos de experiência e habituado a ter autonomia e responsabilidade para a função de estagiário. Os estágios e as funções base de uma empresa são para pessoas com esse perfil. Concorrer a estas ofertas é perder tempo. A percepção de quem recruta é que perderiam o colaborador assim que este recebesse uma oferta de trabalho mais motivadora.

5. Concorre a todas as ofertas de empregos que aparecem?
É também um erro concorrer a todas as ofertas sem atender ao perfil solicitado. Se não possui pelo menos 60% das qualificações e/ou do perfil solicitado, não concorra, estará a perder o seu tempo.

6. A sua função desapareceu
Não vai encontrar muitas ofertas para “chapeleiro”. Muitas funções estão em “via de extinção” – há indústrias que desapareceram e/ou funções que são automatizadas. Pode ser altura para uma requalificação ou para mudar de setor de atividade. (Ref: Empregos que poderão desaparecer em breve)

7. Qual é a sua atitude?
A sua atitude em entrevista é muito importante. A sua postura ser “lida” por quem recruta como arrogante, negativista, demasiado relaxado ou demasiado confiante. Tenha cuidado com a imagem que passa, se há um lugar onde as primeiras impressões são importantes, é em entrevista de emprego. Se não tiver uma atitude positiva e bem disposta a entrevista possivelmente será muito breve. Seja positivo.

8. Está deprimido
É uma reacção normal quando confrontado com uma situação de desemprego e na falta de oportunidades sentir-se deprimido. Ok, permita-se um período de “luto”, mas depois reaja! Se está sempre desmotivado, a “chorar” e de mau humor, consulte um médico. Para ser bem sucedido numa entrevista não se pode mostrar desanimado e desmotivado.

9. Está zangado
A sua fúria não está a prejudicar quem o despediu, está sim a prejudica-lo a si. Quanto mais cedo ultrapassar esses sentimentos, mais depressa irá ser bem sucedido numa entrevista. Afinal, “quando se fecha uma porta, há sempre outra que se abre”, não esteja a bater furiosamente na porta errada.

10. Não seguiu as instruções do anúncio
Por vezes são dadas instruções de candidatura na oferta de emprego, como por exemplo o pedido de uma carta motivacional. A maior parte dos candidatos não as segue as instruções e envia candidaturas padrão. Siga as instruções.

11. Demasiado “blá blá blá”
As pessoas extrovertidas tem a tendência a falar muito. E por vezes falam demasiado. Quanto mais falar maior a probabilidade de dizer algo que o prejudique. Seja direto e claro no seu discurso, não divague.

12. É demasiado evasivo
Se lhe fazem uma questão, responda. Não ande com rodeios, não dê respostas evasivas e padronizadas com receio do que que o recrutador vai pensar. Mostre a sua opinião, mostre a sua perspectiva, seja verdadeiro, original e único na sua resposta.

13. Não consegue comunicar
Não faça o entrevistador “sacar” informação de si. Responder apenas “sim” e “não” não vai funcionar. Se não consegue comunicar, não vai conseguir o emprego. Aproveite cada oportunidade para explanar as suas qualidades e atributos, mas sem perder o foco.

14. Falta de preparação
Está a concorrer contra outros candidatos. Se não se preparar não se vai destacar! Conheça a empresa e função à qual se está a candidatar. Mostre ao recrutador que é mesmo aquele emprego que quer e que tem o perfil ideal. Treino o seu discurso em frente ao espelho. Saiba como responder às perguntas mais usadas em entrevista ou mesmo às mais inusitadas. (Ref: Questões colocadas em entrevistas por grandes empresas como a Google, Apple e Amazon)

Em suma, as características comuns de quem é selecionado em entrevistas de emprego pode ser descrito assim – Têm uma atitude positiva (ultrapassaram a depressão e a fúria de estar desempregado), mantêm expectativas realistas, estão preparados e sabem comunicar!

Obs: Este artigo é escrito partindo do princípio que existem ofertas e vagas de emprego disponíveis; não é um confronto com o contexto adverso (e real) que Portugal atravessa pelo que deve ser lido dentro do panorama global.