Frases de Jean-Paul Sartre

Jean-Paul Sartre foi um filósofo, escritor e dramaturgo francês, conhecido como o principal expoente do existencialismo no século XX. Ele é famoso por suas obras literárias e filosóficas, incluindo “A Náusea” e “O Ser e o Nada”. Sartre foi também um proeminente ativista político e crítico literário. Sua abordagem filosófica, que enfatizava a liberdade, a responsabilidade e a existência humana, teve um impacto significativo no pensamento contemporâneo. Sartre é considerado uma das figuras mais influentes da filosofia e da literatura do século XX.

  1. A beleza é uma contradição velada.
  2. A característica da consciência é que ela é uma descompressão de ser. É impossível com efeito defini-la como coincidência consigo.
  3. A concisão na fala leva a uma extensão do pensamento.
  4. A consciência só pode existir de uma maneira, e é tendo consciência de que existe.
  5. A desordem é o melhor servidor da ordem estabelecida.
  6. A escolha é possível, em certo sentido, porém o que não é possível é não escolher. Eu posso sempre escolher, mas devo estar ciente de que, se não escolher, assim mesmo estarei escolhendo.
  7. A espada gasta a bainha, costuma dizer-se. Eis o que aconteceu comigo. As minhas paixões fizeram-me viver, e as minhas paixões mataram-me.
  8. A existência precede e comanda a essência.
  9. A experiência mostra que os homens vão sempre para baixo, que é preciso corpos sólidos para os conter.
  10. A família é como a varíola: a gente tem quando criança e fica marcado para o resto da vida.
  11. A fé, inclusive a profunda, nunca é completa.
  12. A felicidade não está em fazer o que a gente quer e sim em querer o que a gente faz.
  13. A fingida caridade do rico não passa, da sua parte de mais um luxo; ele alimenta os pobres como cães e cavalos.
  14. A imaginação é como um braço extra, com o qual você pode agarrar coisas que de outra forma não estariam ao seu alcance.
  15. A intenção de um pecado revela-se por uma prudência exagerada.
  16. A pior coisa do mal é nos acostumarmos a ele.
  17. A pobreza e a esperança são mãe e filha. Ao se entreter com a filha, esquece-se da mãe.
  18. A vergonha, isso passa quando a vida é longa.
  19. A vida é o pânico num teatro sem chamas.
  20. A violência faz-se passar sempre por uma contra-violência, quer dizer, por uma resposta à violência alheia.
  21. A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota.
  22. Ainda que fôssemos surdos e mudos como uma pedra, a nossa própria passividade seria uma forma de ação.
  23. As boas ações elevam o espírito e predispõem-no a praticar outras.
  24. Basta que um homem odeie outro para que o ódio ganhe pouco a pouco a humanidade inteira.
  25. Cada homem deve descobrir o seu próprio caminho.
  26. Cada mulher sente ciúme de todas as outras mulheres porque atrás delas correm, se não seu marido, os demais homens, todos os quais, então, se lhe tornam infiéis.
  27. De facto, somos uma liberdade que escolhe, mas não escolhemos ser livres: estamos condenados à liberdade.
  28. Detesto as vítimas quando elas respeitam os seus carrascos.
  29. Deve-se conhecer a meta antes do percurso.
  30. É pelo homem que há valores no mundo.
  31. É sempre fácil obedecer, se se sonha comandar.
  32. És livre, escolhe, ou seja: inventa.
  33. Estar morto é estar entregue aos vivos.
  34. Eu era uma criança, esse monstro que os adultos fabricam com as suas mágoas.
  35. Falamos na nossa própria língua e escrevemos numa língua estrangeira.
  36. Felicidade não é fazer o que alguém quer mas sim querer o que alguém faz.
  37. Inclusive o passado pode modificar-se; os historiadores não param de demonstrá-lo.
  38. Morro aos poucos em todos aqueles que gostam de mim.
  39. Na verdade um livro que não merece ser lido duas vezes não é digno de ser lido nem uma vez.
  40. Não fazemos o que queremos e, no entanto, somos responsáveis pelo que somos: eis a verdade.
  41. Não há nada que esteja menos sob o nosso domínio que o coração, e, longe de podermos comandá-lo, somos forçados a obedecer-lhe.
  42. Não há necessidade de fogo, o inferno são os outros.
  43. Não importa o que fizeram de mim, o que importa é o que eu faço com o que fizeram de mim.
  44. Não se é escritor por ter escolhido dizer certas coisas, mas sim pela forma como as dizemos.
  45. Nas mulheres tudo é coração, até a cabeça.
  46. Nasci para satisfazer a grande necessidade que eu tinha de mim mesmo.
  47. Ninguém deve cometer a mesma tolice duas vezes. A possibilidade de escolha é muito grande.
  48. No amor somos injustos, porque supomos que o outro é perfeito.
  49. No amor, um mais um é igual a um.
  50. Nunca as notícias são más para os eleitos de Deus.
  51. Nunca julgamos aqueles a quem amamos.
  52. Nunca se é homem enquanto não se encontra alguma coisa pela qual se estaria disposto a morrer.
  53. Nunca se é homem enquanto se não encontra alguma coisa pela qual se estaria disposto a morrer.
  54. O aborrecimento é a coisa mais horrível do mundo. É o único pecado para o qual não existe perdão.
  55. O conceito de inimigo não é completamente certo e claro, a não ser que o inimigo esteja separado de nós por uma barreira de fogo.
  56. O desejo exprime-se por uma carícia, tal como o pensamento pela linguagem.
  57. O desespero é o suicídio do coração.
  58. O dinheiro não tem ideias.
  59. O homem está condenado a ser livre.
  60. O homem não é a soma do que tem, mas a totalidade do que ainda não tem, do que poderia ter.
  61. O homem não é nada mais do que aquilo que faz a si próprio.
  62. O homem não é senão o seu projeto, e só existe na medida em que se realiza.
  63. O homem nasce livre, responsável e sem desculpas.
  64. O homem tem de poder escolher a vida em todas as circunstâncias.
  65. O homem tem de se inventar todos os dias.
  66. O homem verdadeiramente livre apenas quer o que pode e faz o que lhe agrada.
  67. O importante não é aquilo que fazem de nós, mas o que nós mesmos fazemos do que os outros fizeram de nós.
  68. O inferno são os outros.
  69. O mal só pode ser vencido por outro mal.
  70. O mundo poderia existir muito bem sem a literatura, e inclusive melhor sem o homem.
  71. O que chamamos de liberdade é a irredutibilidade da ordem cultural à ordem natural.
  72. O que é o materialismo, senão o estado do homem que se afastou de Deus; (…) ele passa unicamente a preocupar-se com os seus interesses terrestres.
  73. O que não é terrível não é sofrer nem morrer, mas morrer em vão.
  74. O rebelde preserva os abusos que sofre, para que possa rebelar-se contra eles.
  75. Os covardes são os que se encobrem sob as normas.
  76. Para conhecer os homens, torna-se indispensável vê-los agir.
  77. Para dizer a verdade, cada mulher sente ciúme de todo o seu sexo, porque atrás dele corre não só o seu marido, mas também os demais homens, que assim se lhe tornam infiéis.
  78. Para que o acontecimento mais banal se torne uma aventura, é necessário e suficiente que o narremos.
  79. Para que o sono, a fortuna e a saúde sejam realmente apreciados, devem ser interrompidos.
  80. Para que serve esclarecer os equívocos se as causas persistem ?
  81. Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.
  82. Por mim, creio que estamos mortos há muito tempo: morremos no exacto momento em que deixamos de ser úteis.
  83. Posso querer aderir a um partido, escrever um livro, casar-me, tudo isso não passa de uma manifestação de uma opção mais original, mais espontânea do que aquilo a que se chama vontade.
  84. Quando muitos homens estão juntos, é preciso separá-los pelos ritos, senão matam-se uns aos outros.
  85. Quando os ricos fazem a guerra, são sempre os pobres que morrem.
  86. Quando, alguma vez, a liberdade irrompe numa alma humana, os deuses deixam de poder seja o que for contra esse homem.
  87. Quanto mais areia escorreu no relógio de nossa vida, mais claramente deveríamos ver através do vidro.
  88. Quem é autêntico, assume a responsabilidade por ser o que é e se reconhece livre de ser o que é.
  89. Se os comunistas têm razão, então eu sou o louco mais solitário em vida. Se eles estão errados, então não há esperança para o mundo.
  90. Se você sente tédio quando está sozinho é porque está em péssima companhia.
  91. Ser homem é tender a ser Deus; ou, se preferirmos, o homem é fundamentalmente o desejo de ser Deus.
  92. Ser livre não é fazermos aquilo que queremos, mas querer aquilo que se pode.
  93. Ser-se livre não é fazermos aquilo que queremos, mas querer-se aquilo que se pode.
  94. Sonhar em teoria, é viver um pouco, mas viver sonhando é não existir.
  95. Toda a mulher tem mais fineza do que cabe à sua posição; ela tira proveito da cultura, mais do que o homem.
  96. Toda a teoria sobre a memória implica uma pressuposição sobre o ser do passado.
  97. Todos os homens têm medo. Quem não tem medo não é normal; isso nada tem a ver com a coragem.
  98. Todos os meios são bons quando são eficazes.
  99. Tu és metade vítima, metade cúmplice, como todos os outros.
  100. Um amor, uma carreira, uma revolução: outras tantas coisas que se começam sem saber como acabarão.
  101. Um homem não é outra coisa senão o que faz de si mesmo.
  102. Um homem não pode ser mais homem do que os outros, porque a liberdade é igualmente infinita em todos.
  103. Um louco jamais faz senão realizar à sua maneira a condição humana.
  104. Viver é isso: Ficar se equilibrando o tempo todo, entre escolhas e consequências.

InicioSobre PortalinhoPolítica de PrivacidadeTermos de Uso
© 2024 • Todos os direitos reservados • populu;
Portalinho - Inspiração e Informação em um só Lugar.